Acenda a chama do Fogo da Vida!

Por Cecília Mariano*

Quando começamos a nos aventurar pelos campos astrológicos, não é de se estranhar que a gente fique maravilhado com as possibilidades que ele nos apresenta. A astrologia é uma arte-ciência bastante generosa e quanto mais procuramos, mais opções de análise, interpretação e estudo ela nos oferece.

São diversos tipos de abordagem, inúmeros aspectos, incontáveis componentes que podem ser incluídos em uma leitura. Temos muitas maneiras de adentrar um mapa astral e uma variedade imensa de pontos que podemos nos valer na hora de desvendar tudo aquilo que os símbolos representam.

Com toda esta complexidade e gama de opções, fiquei bastante surpresa com uma constatação! Eu já havia notado isso durante os meus atendimentos, mas foi depois de um curso que ministrei sobre carreira que isto ficou mais claro para mim.

O curso se chamava Realização Profissional e ao longo dos encontros fui conduzindo os alunos na leitura de seus próprios mapas. Cada um ia aprendendo na prática como interpretar os posicionamentos planetários e juntos fomos construindo as análises. Foi uma experiência muito bonita, pois permitiu que as pessoas fizessem suas próprias interpretações e já associassem o que o mapa revelava com aquilo que vivenciavam no dia a dia.

A cada insight era possível ver no rostinho deles a satisfação por estar se descobrindo através da “tradução” dos significados daquele círculo cheio de símbolos, riscos e cores!

Alguns alunos se emocionaram muito com aquilo que conquistaram durante as aulas e estavam nitidamente mais seguros e confiantes para fazerem escolhas e tomarem decisões importantes, principalmente em suas vidas profissionais. 

Na finalização do curso, tive a oportunidade de conversar com alguns deles individualmente para saber o que mais havia impactado em suas vidas. E para minha surpresa, a maioria disse que havia sido a descoberta da distribuição dos Elementos no mapa, ou seja, quanto cada um dos quatro Elementos (Fogo, Terra, Ar e Água) influenciava a personalidade e as escolhas que faziam.

Tomar as rédeas da própria vida passa por um processo de autoconhecimento profundo e o estudo dos Elementos nos dá uma perspectiva incrível do mapa como um todo e, consequentemente, de quem nós somos. 

E essa foi a constatação que me surpreendeu: o que mais fez diferença para os alunos foi saber pontos básicos do mapa, aliás um dos pontos mais fundamentais de toda a astrologia! Não que as outras partes não sejam relevantes, muito pelo contrário. Mas vi que os pontos mais elementares realmente formam a nossa base de sustentação.

Pensando nesse retorno que tive, resolvi escrever uma série dedicada aos Elementos e te ajudar a conhecer mais a fundo sobre o seu alicerce. Para sabermos a distribuição certinha dos elementos no mapa, é preciso fazer alguns cálculos e se levar em conta alguns conceitos astrológicos como regências e dispositores. Mas, para que você já possa colocar estes conceitos em prática, sugiro que olhe na relação abaixo qual o elemento do seu signo solar.

Pode ser que você não se identifique tanto assim como ele, isto porque nem sempre este é o elemento predominante no nosso mapa. Mesmo assim, saber sobre este Elemento já pode te trazer muitas respostas.

O Sol está no signo de Touro e logo pensei em começar (ainda que fora de ordem!) pelo elemento Terra. Mas aí, olhei para o céu e vi que no final do mês de maio Áries vai receber uma grande comitiva planetária (Marte, Júpiter, Vênus e por alguns dias a Lua) exigindo o seu primeiro lugar! Então, vamos começar pelo Elemento dele: Fogo!

Signos e Elementos 

Áries: Fogo – Touro: Terra – Gêmeos: Ar – Câncer: Água – Leão: Fogo – Virgem: Terra – Libra: Ar – Escorpião: Água – Sagitário: Fogo – Capricórnio: Terra – Aquário: Ar – Peixes: Água.

Atributos do Elemento Fogo

Energia; disposição; impetuosidade; entusiasmo; inspiração; vigor; atitude; iniciativa; força física; movimento; competitividade; inclinação para desafios e riscos; vontade de ir além dos limites e explorar; gosto pela aventura; autoestima elevada; conexão com algo maior e divino; intuição aguçada; carisma e brilho pessoal; vontade ir além dos horizontes e alcançar metas grandiosas.

Quando o Fogo está ativado no nosso mapa, temos a necessidade de estar em constante movimento, buscando atividades físicas, desafios, novidades. Ele traz muito entusiasmo, disposição e vitalidade! Quem tem bastante desse Elemento no mapa costuma ser muito ativo, vigoroso, animado, espontâneo, ter coragem e força para se posicionar, lutar pelo que quer e defender sua dignidade. Pode também deixar a pessoa muito agitada, com falta de concentração e um pouco autocentrada demais. Mas, como dizia minha professora, melhor cheio de si do que vazio de si!
Então, se está em excesso, a saída é colocar toda essa energia em movimento – exercício físico, dança, projetos, dinamismo – e canalizar tanto entusiasmo em tarefas que exijam liderança e disposição.
Quem sente que tem pouco Fogo, ou seja, sente que tem naturalmente falta de vigor, energia e vitalidade (e que não seja resultado de nenhum problema de saúde), pode compensar a falta trazendo o Fogo para a sua vida. Use velas, lareiras (sabemos que na Inglaterra o uso do fogo é bastante controlado, então substitua por um luz representando a chama), calor na forma de bolsas de água quente, saunas, hot yoga, objetos em forma de triângulo e também a cor vermelha.

Com estas dicas é possível já ir equilibrando o seu dia a dia. 

No nosso próximo encontro, falaremos mais sobre os outros Elementos.
Até lá!

* Cecilia Mariano é astróloga e terapeuta. Instagram: @ceciliamarianorosa. Site: ceciliamariano.com

Leia ainda:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.