Entregue-se ao poder da lua e alinhe sua vida

Por Cecília Mariano*

Não sei como foi para você, mas quando comecei a me interessar por Astrologia uma coisa me intrigava muito: como algo lá longe, lá no espaço, que a gente nem consegue ver era capaz de influenciar a minha vida, o meu comportamento e o do resto das pessoas?!

Acredito que assim como eu, muita gente possa ter esse mesmo questionamento, especialmente aquelas que vivem em grandes centros urbanos. Nas cidades, vivemos cercados de casas, asfalto, prédios, eletricidade, aparelhos eletrônicos, celulares, água encanada.

Há também a oferta abundante de alimentos de todos os tipos o ano todo. Para quem mora na Inglaterra, principalmente em Londres, isso é ainda mais evidente e corriqueiro. Mesmo que não muito saborosos, é possível comer frutas e vegetais produzidos em climas frios ou quentes em qualquer estação do ano.

Todo esse acesso à tecnologia e à variedade gastronômica nos traz muito conforto e segurança. É um grande privilégio… e também uma grande chance de desconexão!

Fica difícil entender como o meio ambiente e as coisas exteriores podem ter tanta força sobre a gente. Afinal, parece que somos nós que os controlamos.

Passamos a nos enxergar separados, desconectados do mundo natural. É como se houvesse a Natureza de um lado e o Ser Humano do outro. Como se todo o nosso entorno fosse algo dissociado de nós mesmos.

Uma prova disso é que muitas vezes quando pensamos em “salvar o planeta” temos a sensação de que estamos agindo para que algo lá fora e bem longe do nosso dia a dia seja preservado e que se caso o plano não seja bem-sucedido mais uma espécie entrará em extinção. E só isso!
É essa desconexão com os processos naturais da existência que nos impede de perceber que nós SOMOS a Natureza. Tudo o que existe está conectado, interage e se influencia mutuamente.

A Astrologia, sob uma perspectiva integrativa e integral, nos mostra que somos parte do mundo e do universo! Nos mostra que somos, sim, seres individualizados, mas não estamos isolados. Muito pelo contrário, integramos tudo isso e somos afetados (e afetamos) pela energia de tudo o que o compõem, seja pessoas, animais ou planetas.

Uma ótima maneira de perceber essa integração cósmica é acompanhar as fases da lua, já que esse é um dos ciclos que mais nos influencia.

A Lua troca de signo de dois em dois dias, mais ou menos. Muda de fase a cada três dias e meio (yes, existem “meias” fases entre as já popularizadas quatro que conhecemos) e, consequentemente, varia incrivelmente a relação que estabelece com os outros planetas e com a gente.

Seguindo os ritmos lunares somos capazes de conseguir completar tarefas e alcançar objetivos sem precisar “empurrar” o corpo e a mente.

Isto porque o movimento lunar reflete diretamente na nossa disposição. Então, que tal se alinhar a ele e parar de remar contra a maré, se forçando para iniciar algo quando é tempo de se recolher, ou finalizar quando era hora de expandir? Quanto mais você usar, mais natural estes ciclos ficarão.

Ritmos Lunares
Lua nova

Nesta fase, o Sol e a Lua estão juntos no céu. É o início de ciclo e o momento perfeito para plantar as sementes daquilo que deseja ver florescer. Pense mesmo como uma plantação, na fase inicial a semente ainda está embaixo da terra, oculta, como a Lua está agora. Mesmo assim, toda a força e o potencial de crescimento já está ali. É mais um recomeço, a grande oportunidade de estabelecer objetivos, estipular algo novo para realizar nas próximas semanas, elaborar projetos, tomar as primeiras providências, mentalizar os resultados, planejar como quer que os desejos se realizem.

Lua crescente

Agora a Lua já está em pleno movimento ascendente, rumo ao seu ápice. Ela está caminhando com muita energia e vontade de se desenvolver. Este é um período para se colocar em ação em prol do projeto que foi elaborado na semana anterior: falar com alguém, ir a algum lugar, organizar algo, por a mão na massa. O que for feito durante estes dias tende a crescer.

Lua cheia
Ah, a lua cheia! Não à toa ela é a lua dos namorados e também quando o lobisomem se transforma! Enquanto ela fica muito visível e brilhante no céu temos mais vontade de também nos mostrar, sair de casa, socializar. Os ânimos ficam mais quentes e agitados. No ápice do ciclo, tudo está iluminado, grandioso e exuberante (para o bem e para o mal!). Aqui temos uma visão clara do que iniciamos, é neste momento que vamos ver se o que começamos funcionou ou não. É hora de definirmos se o projeto ou plano terá andamento, decidir se seguimos em frente acelerando, nos desapegamos do que queríamos ou ajustamos a direção. Estes dias também são ótimos para festas e lançamentos.

Lua minguante
Na vida há ritmos e depois de alcançar um extremo, um ponto máximo, tudo tende a retornar ao equilíbrio até que chegue novamente ao extremo oposto. Agora a lua começa o seu movimento de recolhimento, de volta ao ponto inicial. Durante estes dias é aconselhável se recolher e pensar no próximo passo, recarregar as energias, fazer um balanço do que já passou. É o encerramento do ciclo, momento para refletir sobre o que se alcançou ou não, estabelecer novos desafios e descansar. Por isso, é bom evitar atividades novas ou marcar eventos sociais.
Espero que aceite o convite e entregue-se ao poder da Lua!

Até a próxima!

* Cecilia Mariano é astróloga e terapeuta. Instagram: @ceciliamarianorosa. Site: ceciliamariano.com

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.