Para reduzir poluição, capital expande a zona de emissões ultrabaixas

Por Ulysses Maldonado F.

“Um dia histórico para nossa cidade” foi como o mayor da capital britânica Sadiq Khan descreveu o início da extensão da chamada Zona de Emissões Ultra Baixas (ULEZ) a partir de 25 de outubro.

A nova ULEZ, que cobre um quarto de Londres e 3,8 milhões de pessoas, está em funcionamento 24 horas por dia, sete dias por semana, exceto no dia de Natal.

De acordo com a ULEZ, a maioria dos veículos que não cumprem um conjunto específico de normas de emissões tem que pagar uma taxa diária de £12,50. A taxa de não conformidade é de £160, embora esta seja reduzida para £80 se paga no prazo de 14 dias.

A ULEZ funciona ao lado da zona de taxa de congestionamento, que está localizada no centro de Londres e custa £15 por dia. Esta zona não está sendo ampliada.

Entretanto, nem todos concordam com a mudança e os conservadores na Assembleia de Londres dizem que a capital deve adotar o sistema usado pelo Conselho Municipal de Birmingham para seu esquema de zona de ar limpo, e que os motoristas que trabalham na zona devem poder solicitar subsídios se ganharem menos de £30.000 por ano.

Eles também querem que Khan invista mais £ 50 milhões em subsídios para a sucata de veículos.

Muitos usuários com veículos “antigos” não concordam com a medida porque sentem que não recebem apoio para trocar seus carros. Este é o caso do espanhol Juan, que diz que é muito caro e está pensando em vender seu veículo ou mudar de emprego e declara seu desacordo com a medida, pois seu emprego depende de seu deslocamento diário e agora será afetado pelo pagamento da tarifa ULEZ.

O esquema original ULEZ foi lançado em abril de 2019. Segundo o Transport for London (TfL), ele contribuiu para uma queda de 44% “no dióxido de nitrogênio dentro de seus limites”.

A cidade também tem uma zona de baixas emissões que se aplica à maioria dos veículos pesados de mercadorias. As autoridades descreveram a ULEZ como cobrindo “a maior parte da Grande Londres”.

As restrições se aplicam aos proprietários de carros antigos a gasolina e a diesel com motores que não atendem as mais recentes normas de emissões, conhecidas como Euro 6. A partir de 12.01 da manhã de 31/10, estes motoristas estavam sujeitos a uma taxa de £12,50, além da taxa de congestionamento de £15.

Veículos afetados

O ULEZ é aplicado com base nas emissões declaradas de um veículo e não em sua idade, de acordo com o Transport for London. As tarifas se aplicam a todos os motoristas com um carro a diesel pré-Euro 6, que foram geralmente fabricados antes de setembro de 2015, ou um carro a gasolina pré-Euro 4, que geralmente remonta a 2005 ou antes.

As motocicletas que não atendem às normas Euro 3 (veículos pré-2007) também serão visadas, assim como os veículos comerciais. Os táxis licenciados de Londres estão isentos de encargos, mas estão sujeitos a um limite de idade de 15 anos. Todos os táxis recém-licenciados devem ser veículos com Capacidade de Emissão Zero (ZEC).

Os motoristas que fazem parte da classe de imposto “deficiente” ou “veículo de passageiros deficiente” estão isentos de taxas ULEZ até 26 de outubro de 2025, desde que seu veículo não mude de classe de imposto. Entretanto, os portadores de crachás azuis que não tenham se registrado dentro dessa classe de imposto estão sujeitos à cobrança de ULEZ.

A ULEZ costumava cobrir apenas partes do centro de Londres, mas agora está em vigor para todas as áreas dentro das estradas circulares norte e sul (embora não cubra as estradas circulares norte (A406) e sul (A205) propriamente ditas). As áreas cobertas dentro da zona agora incluem Willesden, Tottenham, East Ham, Greenwich, Brixton e Fulham.

A zona funcionará 24 horas por dia, sete dias por semana, exceto no dia de Natal.

Outros locais a seguirem o exemplo de Londres

O mayor de Londres Sadiq Khan revelou que outras cidades ao redor do mundo estavam interessadas em introduzir zonas de emissões ultra-baixas semelhantes à imposta na capital britânica.

Khan disse ter sido inundado com pedidos de outros prefeitos do mundo inteiro sobre Ulez, como parte de uma reunião de líderes da cidade na cúpula da COP26 em Glasgow.

“Outros prefeitos de todo o mundo estão conversando com minha equipe. Nós providenciamos para que eles nos visitem. Outros prefeitos de todo o mundo querem seguir o exemplo de Londres”, revelou ele.

Khan, a quem se juntaram outros 12 prefeitos da cidade, incluindo os de Bogotá, Los Angeles, Paris, Barcelona e Atenas.

Khan presidiu o grupo C40 de cidades mundiais empenhadas em combater a mudança climática. A organização cresceu para 97 membros da cidade, incluindo algumas cidades chinesas, e 23 planejam estar em Glasgow durante a próxima quinzena de conversações. Os prefeitos de C40 representam mais de 700 milhões de pessoas que vivem em cidades do mundo inteiro.

Imagem: City Hall

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.