Governo tira países da lista vermelha e mantém testes antes e depois da viagem

Tal como o governo estabeleceu, os ministros concordaram em retirar todos os 11 países restantes da lista vermelha do Reino Unido a partir das 4 da manhã desta quarta-feira (15/12), na sequência da revisão da última avaliação de risco da Agência de Segurança Sanitária do Reino Unido (UKHSA).

Os passageiros de Angola, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Nigéria, África do Sul, Zâmbia e Zimbabué não terão de ficar num hotel de quarentena gerido à chegada a Inglaterra a partir desta data.

“À medida que os casos Ômicron aumentam no Reino Unido e em países de todo o mundo, a lista vermelha de viagens é menos eficaz para retardar a incursão da variante a partir do estrangeiro e estas medidas temporárias já não são proporcionais”, explica o governo.

De acordo com a avaliação do ministério da saúde, a lista vermelha tem servido o seu propósito em atrasar a propagação da Ômicron no Reino Unido para ganhar tempo para o governo aprender mais sobre esta variante e preparar-se para o seu potencial impacto.

Todos os passageiros vacinados que chegam ao Reino Unido devem continuar a fazer um teste pré-partida (PCR ou fluxo lateral) 2 dias antes de partirem para o Reino Unido e devem fazer um teste PCR no ou antes do dia 2 e auto-isolar-se até receberem um resultado negativo.

Os passageiros não vacinados devem também fazer um teste de pré-partida, um teste PCR no dia 2 e 8, e um auto-isolamento durante 10 dias. O teste extra continua a ser uma opção para encurtar o período de auto-isolamento.

Estas medidas de teste são vitais para ajudar a prevenir quaisquer casos adicionais de Ômicron de entrar no Reino Unido, impedindo os viajantes de o transmitirem a outros se estiverem infectados, e para ajudar o governo a monitorizar o risco representado pelas viagens ao estrangeiro.

O mercado de viagens tem reclamado da exigência de testes pagos e o governo reconheceu o impacto que as medidas sanitárias temporárias têm sobre a indústria da aviação.

Estas medidas – a lista vermelha, os testes de chegada e os requisitos de auto-isolamento para viajantes vacinados – serão novamente revistas no início do novo ano, a 5 de janeiro.

O Secretário da Saúde e Assistência Social, Sajid Javid, afirmou: “Agora há transmissão comunitária da Ômicron no Reino Unido e a Ômicron espalhou-se tão amplamente pelo mundo que a lista vermelha de viagens é agora menos eficaz para retardar a incursão da Ômicron a partir do estrangeiro”.

“Embora vamos manter as nossas medidas temporárias de teste para viagens internacionais, vamos retirar todos os onze países da lista vermelha.”

Imagem: Unsplash

Também pode interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.