Abolição, diversidade e inclusão: reflexões culturais no contexto da migração brasileira

Por Tulio Aguiar*

No sábado, dia 07/05, a Casa do Brasil em Londres recebeu mais um evento do Centro Cultural Afro-Brasil sobre temas importantes para as discussões raciais na comunidade brasileira em Londres.

O evento “Diásporas do Atlântico: abolição, diversidade e inclusão” propôs um debate sobre a abolição da escravatura e seu contexto contraditório a partir do 13 de maio, nas visões afro-centradas e euro-centradas. O evento também propôs uma roda de conversação com dois temas: diversidade, inclusão, contação de histórias e experiências da comunidade afrodescendente; e conversação sobre a óptica e imagem das religiões de matriz africana no processo da migração.

Os depoimentos e a conversação trouxeram à tona uma realidade conhecida: é preciso debater e dialogar com a sociedade insistentemente, sobre uma sociedade que aceite o processo de desconstrução como sendo racista, que se comprometa para com a geração atual e com as gerações futuras.

Com a proposta de discutir e debater o racismo, a segregação racial no dia a dia e a intolerância religiosa, foi possível oferecer à comunidade elementos que dão acesso a uma consciência antirracista e um melhor letramento racial. Em cada depoimento, evidenciou-se as histórias e dificuldades dos migrantes, as dificuldades trazidas na mala e as enfrentadas, sobretudo, pela questão racial.

Os depoimentos dos membros de religiões de matriz africana contribuíram bastante, elucidando sobre a necessidade de espaços pretos e que não descaracterizem as tradições em seu formato originalmente preto e afro-brasileiro, preservando os elementos em sua raiz e combatendo a inserção de elementos impróprios destas religiões, processo construído secularmente pela higienização racial e cultural que se perpetua a medida em que não oferecemos resgates mais concisos a estes traços culturais.

Este evento contou com diversas intervenções culturais que arremetem a cultura afro-brasileira em traços musicais, citação de poemas escritos por autores negros e negras e encenação em homenagem aos pretos-velhos e a cultura das benzeções.

O encerramento contou com apresentação artística e explicação histórica sobre os blocos afro em Salvador.

O evento contou com o apoio do consulado-geral do Brasil em Londres, Conselho de Cidadania do Reino Unido, CCBL, patrocinadores e colaboradores.

* Tulio Aguiar é babalorixá  e coordenador geral do Centro Cultural Afrobrasil; +(49)15161848502; centroculturalafrobrasil@gmail.com; IG: tulio_aguiar21 / centro_cultural_afrobrasil

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.